terça-feira, 14 de agosto de 2012

Curitiba, a capital dos ingressos caros

Compartilhar
O Brasil se tornou destino frequente de bandas internacionais nos últimos anos. Como quase tudo que vem de fora, os brasileiros pagam taxas absurdas nos ingressos de shows em locais que, em muitos casos apresentam estrutura precária.

O assunto não é novo, mas resolvi exemplificar para que tenhamos noção de quanto custa esse tipo de evento em Curitiba. Para deixar mais claro, comparei os preços dos ingressos dos três próximos shows de grande porte que Curitiba receberá nos próximos meses com os mesmos três shows em outras partes do mundo. Como não poderia ser diferente, os ingressos por aqui são mais caros que na Ásia, África, Oceania, América do Norte e até que no vizinho Paraguai.



Maroon 5 - Expotrade

O primeiro deles é da banda Maroon 5 que toca no Expotrade, em Pinhais, no dia 24 de agosto. O local tem sido a alternativa para grandes shows internacionais desde o fechamento da Pedreira. Pobre em estrutura para shows desse porte, o Expotrade fica na região metropolitana e conta com amplo estacionamento, mas com acesso complicado. Além disso, nos três show que já fui no local (Oasis, Scorpions e Iron Maiden), dois enfreram problemas. O Oasis reclamou publicamente do local do show no twitter, enquanto o Scorpions relatou que a organização do evento foi uma "completa bagunça" logo após sofrer com problemas no equipamento.

Com tudo isso, o Maroon 5 chega a Curitiba para uma apresentação no Expotrade com os ingressos que variam de R$ 185 a R$ 605. A justificativa do custo de se trazer a banda ao Brasil, normalmente usada nesses casos, não faz muito sentido se no Paraguai, que raramente recebe esse tipo de show, os ingressos mais baratos chegam a custar R$ 54 e o mais caro não passa de R$ 363.

Se a desculpa for relacionada ao câmbio, podemos citar a também distante Austrália, onde os trabalhores recebem um salário mínimo anual de aproximadamente R$ 40 mil, enquanto no Brasil não chega a R$ 20 mil. Em Melbourne, na moderna Rod Laver Arena, os ingressos têm preço único de R$ 210.

Excluindo Curitiba (Brasil), o ingresso mais caro foi encontrado nas Filipinas (R$ 513). Porém, o show no país também tem preços populares de ingressos a R$ 41, o mais barato na comparação.

Local do show do Maroon 5 em Melbourne. Ingressos para apresentação na moderna arena são mais baratos que no Expotrade (Foto: Lucas Dawson / Getty Images)


Linkin Park - Vila Capanema

A situação é ainda mais absurda na comparação com os ingressos do show do Linkin Park. A banda se apresenta na Vila Capanema dia 19 de outubro. Aqui, os ingressos variam entre R$ 90 e R$ 500. Para início de comparação, o show do Pearl Jam no mesmo local, há pouco menos de um ano, variavam entre R$ 50 e R$ 300, quase a metade dos valores do show do LP.

Voltando a comparação em 2012, o show do Linkin Park na África do Sul, por exemplo, será no moderno estádio Soccer City, principal palco da Copa do Mundo de 2010. Lá, os ingressos variam de R$ 78 a R$ 171. Como se não bastasse a diferença absurda, o setor de arquibancada no show sul-africano é dividido em mais de 30 subsetores. Ou seja, não é necessário chegar mais cedo para tentar pegar um lugar melhor como na Vila. Na África do Sul, você compra pela internet e sabe exatamente onde ficará sentado.

Soccer City, usado na Copa de 2010, será o palco do show do Linkin Park na África do Sul (Doug Pensinger/Getty Images)




Alanis - Curitiba Master Hall

Entre os três shows usados na comparação, o que ocorre em um lugar menor é o da cantora Alanis Morissette. Ela se apresenta em Curitiba no dia 5 de setembro, no Master Hall. Aqui, os ingressos do primeiro lote variam entre R$ 145 e R$ 285.

A cantora não tem shows agendados para países na África, Ásia ou Oceania no momento. Nos Estados Unidos, os valores estão bem abaixo dos curitibanos. O mais caro é o de Atlantic City: R$ 139.

Na comparação com as demais cidades do Brasil que receberão a cantora canadense, Curitiba é onde a meia é mais cara. Mesmo em cidades onde o custo de vida é bem mais alto, como São Paulo, a meia na pista custa R$ 120 no Credicard Hall mais R$ 8 para retirada do ingresso. Porém, há setores de R$ 60 e até R$ 50.
Show de Alanis em Atlantic City será no House of Blues
Atualizado 29/09:  Robert Plant
De acordo com matéria publicada na Gazeta do Povo,  os ingressos para o show de Robert Plant em Curitiba vão custar R$ 460 no 2º balcão, R$ 640 no 1º balcão e R$ 840 na plateia. Lembrando que é obrigatório haver meia-entrada para todos os setores. As vendas começam às 12h na bilheteria do Teatro e às 13h pelo site.

Já não é mais novidade, mas novamente os shows em Curitiba são, de longe os mais caros do país. Considerando apenas os preços de inteiras, os valores em São Paulo variam de R$ 240 a R$ 400, no Rio de R$ 180 a R$ 400 e, em Porto Alegre, de R$ 130 a R$ 250. Ou seja, na capital gaúcha o valor do ingresso mais caro de inteira é apenas R$ 20 mais caro que a meia no segundo balcão do show curitibano.

Obs: Como se não fosse o bastante, todos os ingressos com preço mínimo citados nos shows de Curitiba já consideram o desconto de meia-entrada. Ou seja, para quem não pode gozar do benefício, o preço mínimo custa o dobro. Por outro lado, para quem pode, o valor máximo também sai pela metade do preço.

Obs2:
Confesso que não conheço o sistema de meia para os demais países procurados. Nos sites não encontrei informações sobre o benefício. Assim como o Brasil parece ser o único pais onde há diferentes "lotes" de ingressos com valores diferentes para o mesmo setor.

Siga o CuritibaWebRock no twitter e no facebook para receber todas as notícias dos shows em Curitiba.

O que você acha de pagar mais caro pelo mesmo show em um local com estrutura inferior?

Um comentário: